sábado, 27 de setembro de 2014

Como eu gravo meus vídeos

Olá, queridos e queridas do meu coração

Uma seguidora do blog perguntou-me como gravo meus vídeos. Resolvi, então, fazer este post, pois pensei que mais alguém poderia se interessar também em conhecer todo o processo. Então, vamos lá!

Quando fiz meu primeiro vídeo, utilizei minha antiga câmera fotográfica. Porém, por ela ser de um modelo antigo, não gravava vídeos em HD. Percebi, então, que a qualidade dos vídeos gravados pelo celular era superior e, por isso, por um tempo, passei a utilizá-lo para as gravações. Eu fazia uma gambiarra grande para prender o aparelho no tripé, eu o "amarrava" utilizando fita gomada. 

O espaço que eu tinha não me possibilitava colocar o tripé em um local mais alto. Por causa disso, ele ficava de pé sobre a mesa em que eu trabalhava. Para que suas pernas não aparecessem no vídeo, eu tentava não abri-las muito, mas nem sempre isso era possível, pois, às vezes, ele perdia o equilíbrio e  tombava.  Por isso, vez por outra, vocês podem ver os pés do tripé em alguns de meus vídeos.

O tripé com o celular "amarrado" nele ficava ali espremido entre a luminária e a máquina de costura.
Porém, esse ano, eu adquiri um câmera fotográfica nova, uma Canon Rebel T3, e é ela que utilizo atualmente. Quem me acompanha, sabe que estou com um novo canto de fazer scrap também e, agora, consigo posicionar melhor o tripé em um local mais alto.

É aqui onde gravo os vídeos.
É assim que posiciono o tripé com a câmera.
"Olá gente, tudo bom com vocês?" =D
Eu procuro gravar os vídeos durante o dia e, assim, aproveitar a iluminação natural. Mas nem sempre é possível, então utilizo uma luminária, que é essa que vocês viram nas imagens. Posiciono-a virada para cima a fim de que a luz rebata no teto do móvel e retorne mais branda. O ideal é utilizar duas luminárias, uma de cada lado, para que sombras não sejam criadas, mas nesse espaço que tenho não é possível. A gente se vira como pode!

Quando vou iniciar a gravação, tranco-me no quarto para não ter interrupções. Meu esposo até já sabe e não atrabalha. Além disso, tento separar tudo o que vou utilizar durante o vídeo e deixar próximo a mão. De vez em quando, esqueço uma coisinha ou outra, então pauso a gravação várias vezes para poder providenciar. Isso, também, quando não é uma das minhas gatas interrompendo, querendo entrar no quarto, subir na bancada etc. A mais enxerida é a Branquinha, vocês já tiveram a oportunidade de vê-la. Outro ponto importante a ressaltar é que eu não preparo nenhum texto, é tudo espontâneo e construído na hora. O único planejamento que faço diz respeito somente ao desenho do cartão que farei. Por conta disso, às vezes gaguejo, esqueço palavras, atrabalho-me um pouco. Tento consertar de alguma forma na próxima etapa: a edição.

Para editar os vídeos, eu utilizo o Windows Movie Maker, não sei utilizar outros programas de edição. Essa é a parte mais demorada, levando em torno de  1 hora e meia a 2 horas, conforme o vídeo, ou até mais tempo. Ao todo, juntando gravação e edição, levo em torno de 3 a 4 horas, ou muito mais, dependendo da complexidade do cartão que faço. Se eu levar em conta o tempo que demora para subir o vídeo no youtube, adicione mais 30 minutos a 1 hora, e isso porque minha conexão é boa.

É, galerinha, dá um trabalhinho.
Outra dica que dou, aliás, quem deu foi meu esposo, é não iniciar os vídeos dando "bom dia, boa tarde ou boa noite", pois o vídeo pode ser visualizado em outro horário. O primeiro vídeo que fiz, comecei logo dando "boa noite". Assim que ele viu, deu essa sugestão. Desde então, eu tento fazer vídeos "atemporais". rsrsrs

Recentemente, a Pamella, do blog Pam4ever, repassou um tutorial bem bacana de como fazer uma introdução para seus vídeos utilizando um serviço online totalmente gratuito. Quem quiser conhecer, clica aqui. 

É isso, gente, quem tiver mais dúvidas a respeito, já sabe, pode perguntar.

Beijos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...